Pandemia de covid-19 prejudica a indústria pecuária estadunidense

Afisa-PR

Pandemia de covid-19 prejudica a indústria pecuária estadunidense

A disseminação do vírus da covid-19 já infectou centenas de trabalhadores da indústria pecuária dos EUA e o fechamento de frigoríficos colocam esse país "perigosamente perto" de um déficit alimentar

 

pandemia da Covid-19 atingiu centenas de trabalhadores da indústria de animais dos EUA e a perspectiva "paralisações prolongadas" dos frigoríficos significa que esse país está "perigosamente perto" de um déficit alimentar.

 

 

USDA e indústria pecuária dos EUA negligenciam os trabalhadores da indústria da carne

Afisa-PR

USDA e indústria pecuária dos EUA negligenciam os trabalhadores da indústria da carne

Food & Water Watch: o Departamento de Agricultura (USDA) e a indústria pecuária dos EUA negligenciam os trabalhadores que garantem o suprimento alimentar dos estadunidenses e isso prejudicará o fornecimento de carne nesse país

 

A Smithfield Foods (de propriedade da chinesa WH Group Ltd.), o maior frigorífico de suínos do mundo, deveria ter fechado as instalações de Sioux Falls, Dakota do Sul, semanas atrás.

 

 

Exportação de produtos derivados da carne: concorrentes sul-americanos estão organizados

Afisa-PR

Exportação de produtos derivados da carne: concorrentes sul-americanos estão organizados

Estadunidenses, através do USDA & FSIS, exigem poder público e não o neoliberal "autocontrole" privado!

 

Auditados, as Autoridades Centrais Competentes (CCA, sigla em inglês) da Argentina e do Uruguai, respectivamente, o Servicio Nacional de Sanidad y Calidad Agroalimentaria (Senasa) e  Ministerio de Gandería, Agricultura y Pesca (MGAP), mantêm seus respectivos sistemas de fiscalização pública de produtos de origem animal e de segurança alimentar equivalentes à dos EUA: 

 

  

Dinamarca adota rigorosas regras contra caminhões transportadores de suínos vivos

Afisa-PR

Dinamarca adota rigorosas regras contra caminhões transportadores de suínos vivos

Para proteger sua próspera indústria suinícola, sem amadorismo e sem politicagem, a Dinamarca atua para se manter livre da peste suína africana (PSA) e de outras graves doenças

 

Como a Dinamarca exporta 90% dos 28 milhões de suínos que cria em 5 mil propriedades rurais, em seu território ingressam muitos caminhões descarregados para o transporte de suínos vivos. Para evitar que sua indústria suinícola seja prejudicada pela introdução de graves doenças, esses caminhões só podem ingressar em território dinamarquês através das estações fronteiriças de lavagem e desinfecção que são financiadas pelos próprios produtores de suínos.

 

  

Bioterrorismo com o vírus da PSA

Afisa-PR

Bioterrorismo com o vírus da PSA

"Em nosso modelo teórico, uma única pessoa (um 'lobo solitário') sem nenhum treinamento especial em microbiologia ou apoio financeiro poderia liberar e disseminar o vírus da PSA em um território livre da doença" [African Swine Fever - potential biological warfare threat (EasyChair Preprint nº 1904)]

 

O estudo African Swine Fever - potential biological warfare threat (EasyChair Preprint nº 1904) ou Peste suína africana - ameaça potencial de guerra biológica (tradução livre), de Andrzej Jarynowski, Daniel Platek, Łukasz Krzowski, Anton Gerylovich e Vitaly Belik, publicado na EasyChair de 8 de novembro de 2019, em resumo, afirma (links inseridos nossos):