O rumo errado da regressão, degradação e involução

 

Por Rudmar Luiz Pereira dos Santos*

 

Os ataques que a Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) sofreu ao longo dos últimos anos de uma notória ala inconsequente cobra hoje um salgado preço: você que é fiscal agropecuário com consciência crítica deve enxergar em cada um que assim agiu-age como aliado dos "patrões" e verdadeiro inimigo da carreira própria e da sua valorização profissional com justiça salarial.

Divide e impera

 

Por Rudmar Luiz Pereira dos Santos*

 

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) é uma associação de classe muito atuante e muito forte, visto que é autônoma e independente. A Afisa-PR não tem rabo preso e seus únicos e inalienáveis propósitos são o exercício da defesa dos justos e legítimos interesses dos seus filiados — e, extensão, de todos os fiscais agropecuários de campo de boa-fé — e a preservação do interesse público em fiscalização agropecuária pública, tão maltratada neste estado. 

A Afisa-PR sempre será opção para o fiscal agropecuário de campo de boa-fé

  

Por Rudmar Luiz Pereira dos Santos*

 

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Parana (Afisa-PR) é opção para o fiscal agropecuário de campo de boa-fé que deseja representação autêntica, autônoma, competente, honesta, verdadeira e independente. Os inimigos da livre associação autêntica e independente entre os fiscais agropecuários de campo de boa-fé sabem que a Afisa-PR jamais abandonará essas bandeiras de luta. 

Desmistificando a educação sanitária

Por Ralph Rabelo Andrade

 

A Política Agrícola Nacional, estabelecida pela Lei Federal nº 8.171, de 17.01.1991, tem 19 ações e instrumentos que devem orientar-se pelos planos plurianuais, conforme prevê seu art. 4º. A Defesa Agropecuária é um desses instrumentos, discriminada nos arts. 27-A a 29-A da referida lei e na sua regulamentação, o Decreto Federal nº 5.741, de 30.03.2006. Já a formação profissional e educação rural também é um desses instrumentos, mas que não foi descrito na lei de política agrícola.