Rússia confirma o primeiro caso de infecção humana pelo vírus H5N8

Afisa-PR

Rússia confirma o primeiro caso de infecção humana pelo vírus H5N8

Segundo o serviço de saúde (Rospotrebnadzor) da Rússia este é o primeiro caso confirmado no mundo de infecção humana pelo vírus da gripe aviária A (H5N8)

 

Pelo menos sete empregados de uma granja avícola no sul da Rússia foram diagnosticados com um novo tipo de gripe aviária

A responsável pelo serviço de saúde (Rospotrebnadzor) da Rússia, Anna Y. Popova, disse que trata-se do primeiro caso confirmado no mundo de infecção humana pelo vírus da gripe aviária A (H5N8), conforme a notícia Rusia reporta los primeros casos del mundo de gripe aviar H5N8 en humanos da RT de 20 de fevereiro de 2021.

O uso de vacinas ilícitas e o surgimento de novas variantes do v-PSA

Afisa-PR

O uso de vacinas ilícitas e o surgimento de novas variantes do v-PSA

Peste suína africana (PSA): o aparecimento de novas variantes pode ser um contratempo para a China que se recupera de uma devastadora epidemia de PSA

 

Fontes ligadas à indústria de animais, novas variantes do vírus da peste suína africana (v-PSA) foram identificadas em suínos da China e podem ter como origem o uso de vacinas ilícitas. O aparecimento de novas variantes pode ser um contratempo para a China (o maior produtor de suínos do mundo) que se recupera de uma epidemia causada pela doença.

Duas novas cepas do v-PSA infectaram mais de mil porcas em várias criações de propriedade da New Hope Liuhe Co., a quarta maior indústria de suínos da China, bem como outros suínos que eram engordados para esta empresa por criadores contratados, conforme a notícia New China Swine Fever Strains Point To Use of Unlicensed Vaccines (por Dominique Patton) da Reuters  e 22 de janeiro de 2021. 

HPAI se dissemina na Europa

Afisa-PR

HPAI se dissemina na Europa

Fiscalizações agropecuárias de dezesseis países da Europa relataram 561 surtos de vírus da influenza aviária altamente patogênica (HPAI, na sigla em inglês, Highly Pathogenic Avian Influenza) na avifauna e em aves de criações domésticas e industriais, de acordo com o relatório Avian influenza overview August – December 2020 da European Food Safety Authority (EFSA)

  

Em virtude do acentuado aumento no número de surtos1 de gripe aviária, a França ordenou o abate preventivo de aves em cerda de cem municípios, principalmente nos departamentos de Landes e Pirenéus Atlânticos, ambos na região administrativa da Nova Aquitânia (localizada na fronteira com a Espanha), conforme a notícia Francia ordena el sacrificio de aves de corral en casi 100 municipios para contener los brotes de gripe aviar  da RT de 30 de dezembro de 2021.

Os vírus da influenza aviária, mais frequentes do que nunca, e o risco de uma nova pandemia

Afisa-PR

Os vírus da influenza aviária, mais frequentes do que nunca, e o risco de uma nova pandemia  

Relatório da britânica Open Cages alerta que os vírus da gripe aviária, mais frequentes do que nunca e altamente infecciosos, fariam o da Covid-19 parecer moderado

  

A organização britânica de defesa do bem-estar dos animais Open Cages publicou o relatório British Pandemic | The Cruelty and Danger of Supermarket Chicken alertando que a carne de frango de baixo custo comercializada nos supermercados do Reino Unido tem potencial para desencadear novas e catastróficas pandemias.

Os criadores britânicos de frangos estariam "usando raças projetadas para crescer rapidamente de uma forma não natural" conhecidas como frankenchickens, que são "praticamente incapazes de se proteger do ataque" de uma doença animal devido a fraqueza dos seus sistemas imunológicos, segundo a notícia Cheap supermarket chicken risking 'catastrophic' new pandemics, report warns (por Jane Dalton) do The Independent de 9 de novembro de 2020. 

O vírus SADS-CoV

Afisa-PR

O vírus SADS-CoV

Infortúnio da natureza ou mais uma consequência originária do "modelo" intensivo de exploração capitalista aplicado às atividades neoagropecuárias?

 

Uma pesquisa feita pela Universidade da Carolina do Norte (EUA) sugere que a cepa coronavírus que atingiu a indústria suína também apresenta potencial de se espalhar para humanos.

O coronavírus, que causa a síndrome da diarreia aguda em suínos (SADS-CoV), "pulou" de morcegos e infectou (é transmitida através das fezes de morcego-de-ferradura-grande) suínos em toda a China desde que foi descoberto pela primeira vez em 2016. Esse vírus é especialmente fatal para leitões. Surtos do vírus SADS-CoV têm potencial para causar prejuízos econômicos em países dependentes da exploração da indústria suína, segundo a notícia Revelan que un coronavirus 'porcino' que causa enfermedad gastrointestinal en animales, puede replicarse en humanos do RT de 14 de outubro de 2020.