A PSA no Brasil é uma situação concreta

Afisa-PR

A PSA no Brasil é uma situação concreta

Caso o Brasil fique livre da peste suína africana (PSA) os suinocultores poderão ganhar alguns anos de lucrativa atividade. Porém, será que as fiscalizações agropecuárias públicas envolvidas estão verdadeiramente preparadas — em infraestrutura e em contingente de fiscais agropecuários — para impedir o ingresso e disseminação do mortal vírus da PSA

 

Surto de PSA Brasil 1978

Crédito imagem: Pig Progress (fotografia da doutora Tânia Maria de Paula Lyra)

 

Poucas pessoas se lembram que, na década de 1970, o mortal vírus da peste suína africana (PSA) estava presente nas Américas levando à morte 1,2 milhão de suínos. Sobre essa catástrofe sanitária, a notícia ASF in the Americas is no science fiction at all (por Vincent ter Beek) do Pig Progress de 17 de janeiro de 2020, revela que, entre 1978 e 1981, a erradicação da PSA no Brasil foi direcionada e que o surto brasileiro (entre 1978 e 1979) provavelmente foi o melhor caso documentado.

No final do século passado o último foco primário de PSA ocorreu na Fazenda Floresta situada no Município de  Paracambi, Estado do Rio de Janeiro. Em 13 de maio de 1978 esse surto primário foi relatado ao Ministério da Agricultura. Em seu início, o  proprietário da Fazenda Floresta "não pensou muito" no motivo que levava seus suínos a morrerem e seus negócios "continuaram normalmente".

Agrotóxicos: Mercosul X União Europeia (UE)

Afisa-PR

Agrotóxicos: Mercosul X União Europeia (UE)

Brasil & liberado: acefato, atrazina e paraquate; UE & proibido: acefato, atrazina e paraquate

 

Sul

Crédito imagem: A Geography of Agrotoxins use in Brazil and its Relations to the European Union

 

Comércio e consumo de agrotóxicos no Paraná

O elevado comércio e consumo de agrotóxicos no Paraná traz graves consequências. No Brasil, segundo o A geography of agrotoxins use in Brazil and its relations to the European Union, o Paraná  é um dos campeões do comércio e do uso de agrotóxicos. Na Região Sul o Paraná é o campeão do consumo de agrotóxicos com 12,21 kg/ha.

 

Consumo do agrotóxico glifosato no Paraná

[P. 31] Entre 2009 e 2014, segundo o A geography of agrotoxins use in Brazil and its relations to the European Union, o comércio do agrotóxico glifosato no Brasil cresceu "de 118 mil toneladas para 194 mil toneladas, um aumento de 64% em apenas seis anos".

O Paraná, em 2014, foi o segundo do país na quantidade comercializada do agrotóxico glifosato, com cerca de 25 mil toneladas.

A peste suína africana (PSA), as duas Coreias, a OIE e a FAO

Afisa-PR

A peste suína africana (PSA), as duas Coreias, a OIE e a FAO

As notificações obrigatórias de peste suína africana (PSA) das duas Coreias perante a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) 

 

1VOB33F1DW 2

Crédito imagem: m.sedaily.com

 

Casos de PSA na Coreia do Sul

Após a confirmação do primeiro surto de peste suína africana (PSA) a Coreia do Sul, até 24 de dezembro de 2019, notificou perante a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) uma notificação imediata e trinta e quatro subsequentes relatórios de acompanhamento. Todos os casos de PSA foram localizados na fronteira norte com a Coreia do Norte e adjacentes à Zona Desmilitarizada.

 

Caso de PSA na Coreia do Norte

Após a confirmação do primeiro surto de PSA a Coreia do Norte, até 24 de dezembro de 2019, notificou perante a OIE uma notificação imediata (um caso localizado na fronteira noroeste com a China) e nenhum relatório de acompanhamento.

Foi encontrada uma vacina eficaz contra o vírus da PSA?

Afisa-PR

Foi encontrada uma vacina eficaz contra o vírus da PSA?

Pesquisadores do Plum Island Animal Disease Center, EUA, concluíram que "o ASFv-G-ΔI177L é uma nova e eficaz vacina experimental" contra o vírus da peste suína africana (PSA) que "protege os suínos do isolado epidemiologicamente relevante do vírus da PSA da Geórgia", Europa Oriental

 

image readtop 2019 289724 0

Crédito imagem: https://www.mk.co.kr/news/business/view/2019/05/289724/

 

Com base nas notícias Scientists Claim They Found a Treatment for the Virus Decimating the World's Pork Supply (por Chris Baraniuk) do OneZero de 4 de dezembro de 2019, e Sterile immunity possible against ASFv, US scientists say (por Vincent ter Beek) do Pig Progress de 9 de dezembro de 2019, quando em agosto de 2018 a epidemia de peste suína africana (PSA) explodiu na China, os cientistas do mundo se renderam à necessidade para se desenvolver uma vacina bem-sucedida. 

A PSA foi descrita pela primeira vez em 1921 no Quênia, mas durante grande parte do século 20, cientistas de todo o mundo falharam em levá-la a sério, pois os piores surtos eram confinados à África.

Segundo  Daniel Rock — ex-cientista do Plum Island Animal Disease Center e professor de patobiologia na Universidade de Illinois, em Urbana-Champaign —, o boom da PSA na China foi um "divisor de águas". "Agora a PSA está fora da África para sempre. Tornou-se uma doença endêmica sobre mais da metade do rebanho de suínos do mundo". 

Attachments:
Download this file (861666v1.full.pdf)bioRxiv[Development of a highly effective African swine fever virus vaccine by deletion of the I177L gene results in sterile immunity against the current epidemic Eurasia strain]1167 kB

Última auditoria do FSIS definiu proibição da carne in natura 

Afisa-PR

A última auditoria do FSIS definiu a proibição da carne in natura 

O último relatório do FSIS encaminhado ao MAPA "descreve o resultado da auditoria de equivalência" realizada entre 10 e 28 de junho de 2019 com o objetivo de verificar se a fiscalização de produtos de origem animal tinha equivalência com os EUA

 

Stacked pile of red raw meat uncooked being cut

Crédito imagem: AGNET West

 

Os EUA voltaram a negar a reabertura do seu comércio interno à carne bovina in natura de origem brasileira. No mês de março de 2019, após uma série de concessões no setor de agricultura em favor dos estadunidenses e da abdicação do Brasil da condição de país em desenvolvimento nas negociações junto à Organização Mundial do Comércio (OMC), foi acertado que o Serviço de Inspeção e Segurança de Alimentos (FSIS) ligado ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) faria uma auditoria de verificação de equivalência — feita entre 10 e 28 de junho de 2019 — na fiscalização agropecuária1 dedicada à fiscalização de produtos de origem animal.

Após essa auditoria o FSIS solicitou novas informações e definiu a necessidade de uma nova auditoria — ainda sem data de realização. Somente depois dessa nova auditoria haverá a possibilidade de se levantar a proibição dos EUA contra a carne bovina in natura.

 

O último relatório do FSIS discriminou não conformidades

Em 19 de dezembro de 2019 o USDA encaminhou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) o documento Final report of an audit conducted in Brazil june 10 - 28, 2019 & Evaluating the food safety systems governing raw and processed meat products exported to the United States of America que trata a auditoria de equivalência realizada pelo FSIS entre 10 e 28 de junho de 2019.