Após quase 40 anos a mortal PSA retorna ao Continente Americano

Afisa-PR

Após quase 40 anos a mortal PSA retorna ao Continente Americano

Os casos foram detectados pelo programa de vigilância cooperativo entre os estadunidenses e a República Dominicana

 

 


Uma notícia do Pig Progress informa que após quase 40 anos, o mortal vírus da peste suína africana (v-PSA) apareceu na América Central, na República Dominicana. Ontem (28) o Departamento de Agricultura estadunidense (USDA, na sigla em inglês, Department of Agriculture) estadunidense — através do seu Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal (APHIS, na sigla em inglês, Animal and Plant Health Inspection Service) — confirmou que o vírus da doença foi encontrado em amostras retiradas de suínos criados na República Dominicana. 

Os testes positivos representam a primeira detecção da PSA nas Américas em quase 40 anos. Os casos foram detectados pelo programa de vigilância cooperativo entre os estadunidenses e a República Dominicana.

Attachments:
Download this file (IN_150921_29072021.pdf)IN_150921_29072021.pdf[ ]621 kB

"A agência do sim"

Afisa-PR

"A agência do sim"

Reportagem do The Intercept conta os bastidores da regulamentação de agrotóxicos nos EUA  

 

 

O The Intercept publicou uma reportagem sobre os bastidores da regulamentação de agrotóxicos pela Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês, U.S. Environmental Protection Agency).  A EPA é uma agência federal reguladora do governo dos EUA encarregada, entre outras atividades, "de proteger a saúde humana e o meio ambiente".

A reportagem conta que uma indústria "muito mais poderosa e com melhores recursos do que a EPA" (responsável por regulá-la) "enganou, intimidou e persuadiu" para o "uso de pesquisa científica imprecisa em detrimento da saúde pública" — citando alguns agrotóxicos, tais como os à base dos princípios ativos DDT e aldrin e dieldrin  (princípios ativos proibidos no Brasil desde 1985), clorpirifós1paraquate (p. a. proibido no Brasil desde setembro de 2020), agrotóxicos da classe dos neonicotinóides (entre eles o p. a. tiametoxam que é proibido na União Europeia) e glifosato3.

Transmissão zoonótica: o primeiro caso de H10N3

Afisa-PR

Transmissão zoonótica: o primeiro caso de H10N3

O caso do primeiro homem infectado pela gripe aviária H10N3

 

A Comissão Nacional de Saúde da China [National Healh Commission of the People's Republic of China, NHC na sigla em inglês) relatou na última terça-feira (1º) "a detecção do primeiro caso mundial de gripe aviária H10N3 em humanos na província oriental de Jiangsu"1.

 

 

A NHC informou que o homem infectado reside na cidade de Zhenjiang e que "começou a se sentir mal no dia 23 de abril, com sintomas que incluíam febre"2.   

Agrotóxicos: determinadas bulas disponibilizadas no Agrofit apresentam erros de português

Afisa-PR

Agrotóxicos: determinadas bulas disponibilizadas no Agrofit apresentam erros de português

Os agrotóxicos são obrigados a exibir bulas aos agricultores redigidas em português

 

Conforme o art. 3º da Lei 7.802/1989 os agrotóxicos, entre outras obrigações, só podem ser comercializados e utilizados, se previamente registrados nos órgãos federais responsáveis pelos setores da saúde, do meio ambiente e da agricultura.

 

 

Rússia confirma o primeiro caso de infecção humana pelo vírus H5N8

Afisa-PR

Rússia confirma o primeiro caso de infecção humana pelo vírus H5N8

Segundo o serviço de saúde (Rospotrebnadzor) da Rússia este é o primeiro caso confirmado no mundo de infecção humana pelo vírus da gripe aviária A (H5N8)

 

Pelo menos sete empregados de uma granja avícola no sul da Rússia foram diagnosticados com um novo tipo de gripe aviária

 

 

A responsável pelo serviço de saúde (Rospotrebnadzor) da Rússia, Anna Y. Popova, disse que trata-se do primeiro caso confirmado no mundo de infecção humana pelo vírus da gripe aviária A (H5N8), conforme a notícia Rusia reporta los primeros casos del mundo de gripe aviar H5N8 en humanos da RT de 20 de fevereiro de 2021.