Afisa-PR

Agrotóxicos: Mercosul X União Europeia (UE)

Brasil & liberado: acefato, atrazina e paraquate; UE & proibido: acefato, atrazina e paraquate

 

Sul

Crédito imagem: A Geography of Agrotoxins use in Brazil and its Relations to the European Union

 

Comércio e consumo de agrotóxicos no Paraná

O elevado comércio e consumo de agrotóxicos no Paraná traz graves consequências. No Brasil, segundo o A geography of agrotoxins use in Brazil and its relations to the European Union, o Paraná  é um dos campeões do comércio e do uso de agrotóxicos. Na Região Sul o Paraná é o campeão do consumo de agrotóxicos com 12,21 kg/ha.

 

Consumo do agrotóxico glifosato no Paraná

[P. 31] Entre 2009 e 2014, segundo o A geography of agrotoxins use in Brazil and its relations to the European Union, o comércio do agrotóxico glifosato no Brasil cresceu "de 118 mil toneladas para 194 mil toneladas, um aumento de 64% em apenas seis anos".

O Paraná, em 2014, foi o segundo do país na quantidade comercializada do agrotóxico glifosato, com cerca de 25 mil toneladas.

[P. 40] Enquanto que na União Europeia (EU) —  de acordo com uma escala que varia de 0 a 2 kg por hectare (ha) — a Bélgica é o único país que utiliza mais de 2 kg de herbicida o Paraná, por sua vez, consome de 9 a 19 kg do agrotóxico glifosato por hectare.

[P. 31] Em um relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2015, intitulado Monografias IARC26 Volume 112: Avaliação de cinco inseticidas e herbicidas organofosforados, a OMS "admite que o ingrediente ativo" glifosato pode causar câncer em animais testados em laboratório. Além disso, o relatório indica que o glifosato é um potencial agente causador de alterações nas estruturas de DNA e cromossomo nas células humanas.

 

Intoxicações causados por agrotóxicos no Paraná

[P. 44] "Todo o conjunto de mapas vinculados à quantidade de intoxicações por agrotóxicos" no A geography of agrotoxins use in Brazil and its relations to the European Union "demonstra os impactos diretos e visíveis do uso de agrotóxicas”. Exemplos podem ser encontrados no mapa Brasil & Envenenamento por agrotóxicos de uso agrícola & Unidades da Federação (2007-2014) que mostra os casos de envenenamento por agrotóxicos no Brasil entre 2007 e 2014.

O primeiro aspecto que chama a atenção é uma enorme concentração dos casos de envenenamento relatados, especialmente na região Centro-Sul do Brasil. O Paraná, por exemplo, aparece em primeiro lugar, com mais de 3700 casos de envenenamento notificados.

 

Tentativas de suicídios com agrotóxicos no Paraná

[P. 45] O mapa Brasil & Intoxicação por agrotóxicos de uso agrícola & Circunstância & Unidades da Federal (2007-2014) apresenta as principais situações que levaram às notificações de envenenamento: "uso habitual", "acidental" e "tentativa de suicídio". "As duas primeiras categorias de circunstâncias denotam claramente casos de intoxicação relacionados à rotina de trabalho, ou seja, camponeses e trabalhadores rurais, juntamente com suas famílias, constituem o universo daqueles que podem ser diariamente envenenados por agrotóxicos de uso agrícola. Apesar de parecerem ‘evidentes’, esses casos merecem ser discutidos".

"No entanto, o que mais chama a atenção neste mapa é o grande número de tentativas de suicídio entre os casos de envenenamento relatados". O Paraná, por exemplo, "relatou 1631 tentativas de suicídio em 3.723 casos de envenenamento naquele período, ou seja, cerca de 40% do total".

[P. 45-46] "Os casos de suicídio, devido à gravidade da situação e aos aspectos legais envolvidos, obviamente têm uma grande importância no número de casos de envenenamento relatados, ou seja, eles 'se tornam' números oficiais".

No entanto, "vale mencionar uma possível correlação entre esses casos e uma exposição crônica a alguns tipos de agrotóxicos".

De acordo com os mapas Brasil & Morte por envenenamento por agrotóxicos & Unidades da Federação e Brasil & Morte por envenenamento por agrotóxicos & Municípios, "nos últimos anos, parte desses casos de intoxicação causou mortes no Brasil". O primeiro mapa "apresenta o Paraná liderando a lista de estados com 231 óbitos por intoxicação por agrotóxicos no período de 2007 a 2014".

 

Bebês envenenados por agrotóxicos no Paraná

[P. 46] "O caso de bebês envenenados, mesmo que restrito a números oficiais, é um sintoma do impacto do uso de agrotóxicos no Brasil. Conforme os mapas de envenenamentos por agrotóxicos, bem como no mapa Brasil & Envenenamento por agrotóxicos & Faixa etária, "grande parte dos casos de envenenamento ocorre em crianças e adolescentes".

"De fato, na maior parte" dos estados do Brasil, "o número de crianças e de adolescentes envenenados corresponde a aproximadamente 20% do total de envenenamentos relatados", como é o caso de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso entre outros.

 

A Geography of Agrotoxins use in Brazil and its Relations to the European Union 

No Portal de Livros Abertos da USP:

 

A Geography of Agrotoxins use in Brazil and its Relations to the European Union

 

No canal Bob Fernandes de 2 de janeiro de 2020:

 

Larissa Bombardi denuncia no Parlamento Europeu: Europa proíbe, vende... e Brasil compra agrotóxicos.

 

 

 

No Facebook de Bob Fernandes:

 

Larissa Bombardi mostra em Bruxelas, no Parlamento Europeu: nas áreas da Amazônia com maior aumento do desmatamento cresceu o uso de agrotóxicos. Que os europeus produzem, vendem, mas proíbem em seus países. É o avanço da soja de exportação...

 

 

 

Modificado em 4-1-2019 em 11:35

 

Matérias relacionadas:

1-1-2020 – Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Agrotóxico paraquate: extremamente tóxico; um gole pode matar e sem antídoto ou tratamento eficaz [Mesmo assim, o governo do Paraná realizou o cadastramento de treze marcas comerciais de agrotóxicos à base do ingrediente ativo paraquate tidas como "aptas para comércio e uso no estado"]

30-12-2019 - RFI & Jornal francês volta a denunciar uso abusivo de agrotóxicos no Brasil [O uso excessivo de agrotóxicos no Brasil continua em destaque na imprensa francesa. Na quarta reportagem de uma série dedicada ao desmatamento na Amazônia, o jornal regional Ouest France relata nesta segunda-feira (30) resultados de estudos científicos apontando o envolvimento do herbicida glifosato em abortos espontâneos e no aumento da mortalidade de recém-nascidos em áreas que concentram 80% da produção de soja no centro-oeste e sul do Brasil. Jornal de maior tiragem da França, Ouest France cita a pesquisa publicada em fevereiro passado por Mateus Dias, Rudi Rocha e Rodrigo R. Soares, das universidades de Princeton (EUA), São Paulo e Columbia (EUA). O estudo colheu dados de áreas de cultura de variedades de soja geneticamente modificadas, fabricadas pela Monsanto, nas quais também foi associado um herbicida à base de glifosato, explica o diário. (...) "No Paraná, de 3.723 casos de intoxicação recenseados no período de 2007-2014, 1.631 foram por tentativa de suicídio, ou seja, 40% do total. As mesmas proporções são encontradas nos estados de São Paulo (844 tentativas) e Minas Gerais (957). Pior ainda em Pernambuco, onde ocorreram 1.145 tentativas de suicídio num total de 1.545 intoxicações. (...) O fato de dispor de produtos agrícolas tóxicos facilita o suicídio. É um veneno ao alcance das mãos."  (...)]

 

 

22-12-2019 – Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Estudo de resíduos de agrotóxicos em alimentos: governo do Paraná foi o único que não participou do PARA ["Os técnicos da Anvisa coletaram mais de 4.600 amostras de alimentos em supermercados de quase todos os estados brasileiros entre agosto de 2017 e junho de 2018." (El País)]

8-12-2019 – Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & União Europeia (UE) proibirá o comércio do agrotóxico clorpirifós [Agrotóxico clorpirifós: a European Food Safety Authority (EFSA) da UE identificou preocupações, amparadas por dados epidemiológicos, que envolvem malefícios genotóxicos e neurológicos em crianças]

23-11-2019 – Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Agrotóxico glifosato: trigo é flagrado com resíduo 100 vezes mais que o permitido [Sem considerar os eventuais níveis de resíduos adicionais ocultados (nos rótulos dos agrotóxicos) como "inocentes ingredientes inertes" (AMPAPOEA etc.) presentes na formulação comercial dos agrotóxicos à base de glifosato. Esse é o "alimento seguro" destinado à população?]

9-11-2018 – Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & O relatório da ONU contra os agrotóxicos não pode ser esquecido ["Usar mais agrotóxicos não tem nada a ver com a eliminação da fome. Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), somos capazes de alimentar 9 bilhões de pessoas hoje. A produção está definitivamente aumentando, mas o problema é a pobreza, a desigualdade e a distribuição [de alimentos]". — Hilal Elver, relatora especial da ONU sobre o direito à alimentação | The UN report against pesticides can't  be forgotten & "Using more pesticides has nothing to do with the elimination of hunger. According to the United Nations Food and Agriculture Organization (FAO), we're able to feed 9 billion people today. The production is definitely increasing, but the problem is poverty, inequality and distribution [of food]". — Hilal Elver, UN Special rapporteur on the right to food]