Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR)


..., a fiscalização agropecuária impulsiona os negócios bilionários do agro$, mas e daí? 

 


Vejamos a tenebrosa situação aqui, no nosso lamentável métier, nesta maltratada província agrícola (e que por isto é responsável por parte expressiva desses bilhõe$ faturados pelo agro$), como anda a situação econômica do fiscal agropecuário estadual?

 

(a) Subsídio arrochado e ainda por cima obrigado a prestar serviço essencial (sem direito à vacinação!), no meio da pandemia com pandemônio, para garantir justamente os bilionário$ negócios do agro$;

(b) Menos 25,44% (pela sistemática negação do reajuste anual) de subsídio, ou seja, ¼ da remuneração já evaporou (ou seja: conta bancária está no vermelho!); e

(b) Sem contar a falta de reconhecimento (o "prêmio" pela área livre de febre aftosa sem vacinação foi a — pelo PLDO/2022 aprovado por 40 aliados do desgoverno no legislativo — manutenção do "congelamento'" (eufemismo para redução salarial) além da não previsão de implantação/pagamento da progressão e da promoção no ano que vem!


E tem um deputado da bancada ruralista, do famoso PLP 173/20201, aliado dos sindicalistas e de certas personalidades da defesa "preterida", que ainda por cima se aproveita politicamente desse fato impulsionador do agro$. 

Vamos acordar para a realidade!

Esta associação classista já alertou contra essa ilusão coletiva

A defesa agropecuária pública em si não significa "consequente" valorização e justiça salarial!

A realidade remuneratória do fiscal agropecuário deste estado, muito difícil e com viés de piora, comprova este fato!

 

_________

1 O projeto de lei complementar, PLP 173/2020, prometia "alterar" a Lei Complementar 173/2020 a fim de "incluir, entre as carreiras excepcionalizadas dos congelamentos de salários, de concursos públicos e de reestruturação das carreiras do serviço público, os servidores da fiscalização e da defesa agropecuária".

O PLP 173/2020 ficou famoso pelas lives promovidas pelo sindicalismo e sua elevação à "pauta nacional".

No entanto, com relação ao veto mantido pela Câmara Federal que proíbe reajuste salarial até o final de 2021, como votou o deputado, que através do PLP 173/2020, prometia "excepcionalizar" o fiscal agropecuário? Veja: Com base na notícia Saiba como cada deputado votou sobre veto contra reajuste a servidores do Poder 360 ["Leia a seguir como votou cada 1 dos partidos da Câmara. Neste link, os votos de cada deputado."] de 21 de agosto de 2020, o deputado em questão votou SIM, reiterando, SIM, ou seja, para manter o veto do executivo à possibilidade de reajuste salarial para 10  milhões de servidores servidores!

A manutenção desse veto selou o destino do PLP 173/2020!

Esse voto revela uma gigantesca contradição do deputado em questão, não é verdade?

E mais. Na data de 5 de maio de 2020 foi publicado no portal oficial da defesa deste estado a notícia A Defesa Agropecuária é serviço essencial que tratava sobre uma "emenda" (PLP 173/2020) do deputado em questão. 

Posteriormente, essa propaganda "saiu do ar", mas seu "print screen" foi guardadoPor que tal notícia "saiu do ar"?