Anônimo

 

A raiva é uma zoonose fatal, causada por uma do gênero Lyssavirus, família Rhabdoviridae, que pode ser transmitida dos animais infectados aos seres humanos, através da saliva infectada desses animais, seja por lambeduras, mordeduras ou arranhões. A raiva afeta os animais de produção como bovinos, ovinos, caprinos, suínos, equinos e também os animais domésticos como cães e gatos, além de animais silvestres. As aves não são afetadas pela raiva.

A única forma de estar livre da doença é a prevenção, através da vacinação dos animais susceptíveis com a vacina antirrábica e o controle da população de morcegos hematófagos da espécie Desmodus Rotundus, captura esta que no Brasil é de responsabilidade do poder público, através de seus órgãos de defesa agropecuária estaduais. No Paraná este trabalho é realizado pela autarquia de defesa agropecuária do estado.

A captura de morcegos hematófagos é realizada majoritariamente à noite, pois os morcegos saem de seus abrigos em busca de alimento, no caso, o sangue dos animais de produção, como os bovinos, equinos, etc. E é fora dos seus abrigos que os morcegos hematófagos são capturados pelas redes (armadilhas). As redes são montadas próximas às saídas dos abrigos, como cavernas, ocos de árvores, etc.. Uma vez capturados, os morcegos são "tratados" com pasta vampiricida e devolvidos ao seu habitat. Como os morcegos têm o hábito de se lamberem um ao outro, ao retornarem aos seus abrigos, os demais morcegos, aos lamberem os "tratados" com a pasta vampiricida, morrem envenenado. É assim que o controle populacional dos morcegos hematófagos, os principais transmissores da raiva aos animais de produção, é realizado.

 

Controle da raiva: As prejudiciais limitações 

Muitas vezes, os abrigos são de difícil acesso, pois estão localizados em florestas, na mata fechada, etc., sendo impossível o trânsito de veículos nesses locais. É normal que equipes de captura de morcegos vampiros caminhem quilômetros até o acesso dos abrigos dos morcegos, o que demanda muito tempo. E justamente o fator tempo tem se revelado a grande restrição para a realização efetiva de captura de morcegos hematófagos no estado, pois os fiscais e seus assistentes responsáveis pelas capturas dos morcegos vampiros, não podem exceder 2 horas diárias de serviço extraordinário, o que torna praticamente impossível a realização, de maneira eficiente, da captura de morcegos hematófagos, que como já dita anteriormente, é realizada majoritariamente no período noturno.

Em consequência da baixa efetividade do serviço oficial de captura de morcegos, convive-se com vários casos de raiva animal, especialmente, nas regiões dos Campos Gerais e do Oeste, além do município de Prudentópolis-PR.

Muitos profissionais ligados à área da saúde comentam que é o fator sorte que "impediu" um caso de raiva humana no estado, pois muitos produtores e empregados fazendas acabam tendo contato de risco com animais infectados, o que exige imediato cuidado médico, através da administração de cuidados profiláticos que incluem administração de soro antirrábico e vacina antirrábica, pois uma vez instalada a doença não há possibilidade de cura.

Uma pequena lesão na mão pode ser a porta de entrada do vírus rábico em um produtor ou em um empregado que tenta, por exemplo, “desengasgar” um bovino afetado pela raiva, sem saber que este sinal de “engasgamento” ao se alimentar, já pode ser um dos sinais da raiva, uma doença fatal, e que pode ser transmitida dos animais doentes para os seres humanos.

Diante da gravidade da raiva, não é admissível que o governo limite essa atividade em duas (2) horas de serviço extraordinário diário, assim, a prejudicar seriamente o controle da raiva que, como já dito anteriormente, é uma doença de gravíssima.

 

Existe pressão? 

Alguns servidores relataram a existência, em tese, de "pressão superior" para que realizarem o trabalho completo, que na prática excede as duas (2) horas de serviço extraordinário, porém, para que "não registrassem período excedente, e que o problema, posteriormente, seria informalmente resolvido pelos chefes imediatos".

Como a captura de morcegos hematófagos é um serviço de alto risco, caso o servidor envolvido se acidente, quem se responsabilizará? 

 

<<<<< Os artigos publicados neste espaço não representam necessariamente a opinião da Afisa-PR >>>>>