NOTÍCIAS DA AFISA-PR

Segurança alimentar: o vírus Sars-CoV-2 e o transporte entre países de alimentos congelados

Afisa-PR

Segurança alimentar: o vírus Sars-CoV-2 e o transporte entre países de alimentos congelados

Um epidemiologista chinês alertou que o vírus Sars-CoV-2 é particularmente resistente ao frio e pode sobreviver por meses a -4°C e por 20 anos a -20°C. Resistente ao congelamento, o vírus Sars-CoV-2 tem potencial para ser disseminado pelo transporte entre países de alimentos congelados 

 

wh chinacontainers 100400

Crédito imagem: The Straits Times | Reuters

 

Segundo a notícia China's CDC experts investigate Xinfadi market three times, announce groundbreaking virus tracing discovery (por Zhao Yusha) do Global Times de 19 de junho de 2020, uma pesquisa epidemiológica em fase inicial revelou que a cepa de Sars-CoV-2 encontrada no mercado atacadista de alimentos de Xinfadi que assolou a capital Pequim é originária da Europa, porém, ela é mais antiga que o atual coronavírus europeu, segundo resultados preliminares de pesquisas, disse Zhang Yong, diretor assistente do Instituto Nacional para Controle e Prevenção de Doenças Virais (CDC, na sigla em inglês, National Institute for Viral Disease Control and Prevention).

Leia mais...

As abrangentes estratégias F2F e BDS da Comissão Europeia

Afisa-PR

As abrangentes estratégias F2F e BDS da Comissão Europeia

Através do seu ambicioso Pacto Ecológico Europeu a Comissão almeja na União Europeia (UE) um sistema alimentar saudável e sustentável. Esta não é uma boa notícia para os países exportadores de produtos agrícolas para a UE que dependem fortemente do uso de agrotóxicos

 

Comissao Europeia

Crédito imagem: Wikipédia

 

O vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, afirmou que a crise do novo coronavírus revelou "como todos são vulneráveis e como é importante restaurar o equilíbrio entre as atividades humanas e o meio ambiente". Na União Europeia (UE), no âmbito do Pacto Ecológico Europeu, as estratégias Sustainable food – 'farm to fork' (F2F)1 e Biodiversity (BDS) são partes fundamentais de uma "grande transição em que embarcaram os europeus", de um novo direcionamento e de um melhor equilíbrio entre meio ambiente, a biodiversidade, os sistemas de produção de alimentos e da proteção da saúde e do bem-estar das pessoas e, ao mesmo tempo, também pretende aumentar a competitividade da UE e sua capacidade de resiliência.

As estratégias F2F e BDS da Comissão estabelecem metas ambiciosas que deverão ser atingidas até o ano de 2030: (a) redução em 50% do uso e dos riscos dos agrotóxicos2; (b) redução em 50% do uso de agrotóxicos mais tóxicos e  perigosos; (c) redução da dependência e substituição do uso de agrotóxicos por práticas agroecológicas; (d) conversão de 25% das áreas cultivadas em agricultura orgânica3; (e) proibição do uso de agrotóxicos nas áreas urbanas; (f) redução em 50% das perdas de nutrientes (com a garantia da não diminuição da fertilidade do solo); (g) redução em 20% do uso de fertilizantes agrícolas4; (h) redução em 50% do uso de antibióticos na indústria de animais5 e, até o ano de 2025, todas as áreas rurais da UE deverão acessar a internet banda larga rápida para possibilitar a inovação digital.

Leia mais...

EUA: "foi uma falsa escassez de carne"

Afisa-PR

EUA: "foi uma falsa escassez de carne"

Um "negócio essencial"

 

f53b9d4f 7df8 4fef 9448 480caf3c349c AP Virus Outbreak Texas

Crédito imagem: US Today | LM Otero, AP

 

Conforme a notícia 'It Was a Fake Meat Shortage': Reporting Suggests Industry Sacrificed Workers During Pandemic to Keep Exports Moving (por Eoin Higgins) dos Common Dreams de 17 de junho de 2020, como a pandemia da Covid-19 adoeceu em todo os EUA os trabalhadores de frigoríficos, ameaçando a produção de carne, os líderes da indústria animal apelaram ao governo para permitir que os frigoríficos permanecessem abertas, sob a alegação de uma "ameaça catastrófica de escassez de alimentos doméstica".

Leia mais...

Estudo mostra que o vírus SARS-CoV-2 não é capaz de infectar peixes, aves ou répteis vivos

Afisa-PR

Estudo mostra que o vírus SARS-CoV-2 não é capaz de infectar peixes, aves ou répteis vivos

No entanto, é preciso conhecer o inter-relacionamento entre o vírus SARS-CoV-2 e a indústria de animais

 

Imagem SARS CoV 2

Crédito imagem: NPR [O coronavírus COVID-19 é visto em amarelo, emergindo de células (em azul e rosa) cultivadas em laboratório. Esta imagem é de um microscópio eletrônico de varredura. NIAID-RML]

 

Os achados do estudo "A previsão é que a proteína spike da SARS-CoV-2 forme complexos estáveis com ortólogos1 de proteínas receptoras em hospedeiros mamíferos, mas não em peixes, aves ou répteis" (SARS-CoV-2 spike protein predicted to form stable complexes with host receptor protein orthologues from mammals, but not fish, birds or reptiles) publicado na bioRxiv em 11 de maio de 2020, é muito importante e, evidentemente, mais estudos nesse sentido devem estar a caminho.

Leia mais...

DESTAQUES DA AFISA-PR

Opinião da Direx: o novo coronavírus e a indústria de animais

Afisa-PR

Opinião da Direx: o novo coronavírus e a indústria de animais

O novo surto da Covid-19 de Pequim, no curto prazo, tem potencial para impactar as futuras exportações de produtos de origem animal

 

xinfadi market 1

Crédito imagem: FFF

 

Logo, que a indústria de animais (cujos trabalhadores sofrem com alarmante índice de contaminação pela Covid-19) se prepare, caso se conforme que a exportação1 de produtos de origem animal tem capacidade de disseminar2 o altamente contagioso coronavírus.

Leia mais...

Opinião da Direx: em plena crise pandêmica, governo quer estudo soroepidemiológico pela "área livre de aftosa"

Afisa-PR

Opinião da Direx: em plena crise pandêmica, governo quer estudo soroepidemiológico pela "área livre de aftosa"

Em plena crise pandêmica, o governo Ratinho Junior1 movimentará centenas de fiscais agropecuários em todo o estado para a realização de um estudo soroepidemiológico pela "área livre de aftosa sem vacinação"

 

NHF FMD Keep Out

Crédito imagem: Getty Images

 

O governo Ratinho Junior, em um momento em que a pandemia da covid-19 preocupa o seu próprio secretário da saúde que que apela para o isolamento da população nas próximas semanas, movimentará centenas de fiscais agropecuários para um estudo soroepidemiológico vinculado à febre aftosa que pretende fiscalizar 330 propriedades em todo o estado a fim de identificar e coletar sangue dos bovinos nelas existentes.    

Para a Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR), não é razoável que nesse momento se obrigue extensas "atividades de campo" como é o caso desse estudo. Nas próximas semanas, a curva da altamente contagiosa e mortal covid-19 se acentuará e as mortes podem dobrar em 20 dias sem medidas de contenção, circunstâncias que, obviamente, colocarão em risco a integridade e vida dos fiscais agropecuários do estado e dos agricultores que serão fiscalizados.  

Leia mais...

Opinião da Direx: o aprofundamento da desvalorização e da injustiça salarial

Afisa-PR

Opinião da Direx: o aprofundamento da desvalorização e da injustiça salarial

De natureza essencialmente politicista, a promessa da "área livre de febre aftosa sem vacinação", que pode estar em xeque-mate devido à pandemia da covid-19, não trará plena valorização e justiça salarial ao fiscal agropecuário do Paraná

 

Afisa PR ANO XVII

 

No seu último contracheque, o fiscal agropecuário do Paraná, cujos serviços que presta à população são considerados essenciais — constatou que o seu subsídio foi reduzido ainda mais — e sem reposição deste 2016, suas perdas salariais acumuladas passam de 20%. Mais esta redução é decorrente de dois ataques do governo Ratinho Junior:

 

a) pela destruição da sua Previdência pública, algo que lhe custará muito caro no futuro, levada a cabo pelo governo em turno sem diálogo e em uma única tarde pelos seus aliados políticos no legislativo e

b) como efeito secundário dessa destruição, pelo aumento da alíquota previdenciária (na verdade, um confisco salarial).

 

Leia mais...

Opinião da Direx: governos renovaram benefício bilionário no comércio de agrotóxicos

Afisa-PR

Opinião da Direx: governos renovaram benefício bilionário no comércio de agrotóxicos

A mortal pandemia de covid-19 não foi motivo para impedir a 20ª renovação do bilionário "bolsa agrotóxico" em benefício do agronegócio

 

shutterstock 1505008040 1024x768

Crédito imagem: Edição comunicação Abrasco | reprodução da internet

 

Segundo a notícia Governadores renovam isenção de R$ 6 bi para agrotóxicos em meio à crise [Mesmo com falta de verbas para combater Coronavírus, secretários estaduais renovaram benefício bilionário no comércio de agrotóxicos; MT, SP e RS deixam de arrecadar 3 bi por ano] (por Pedro Grigori) da Agência Pública de 23 de abril de 2020, a 20ª renovação do "bolsa agrotóxico" — conveniado no Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) — desonerou de "30% a 60% do ICMS" no comércio interestadual de agrotóxicos e outros insumos agrícolas.

Todos os 26 governos estaduais mais o do Distrito Federal (DF), sem nenhum embasamento técnico, abdicaram de arrecadar impostos no valor, com base em um estudo da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), de mais de R$ 6,2 bilhões por ano em benefício do agronegócio.

Com R$ 6,2 bilhões em impostos, conforme a Agência Pública, seria possível:

Leia mais...

Opinião da Direx: em xeque-mate a "área livre de febre aftosa sem vacinação"!?

Afisa-PR

Opinião da Direx: em xeque-mate a "área livre de febre aftosa sem vacinação"!?

Apanhada no contrapé pela mortal pandemia de covid-19, há "futuro" para a "área livre de febre aftosa sem vacinação" do governo Ratinho Junior? Seus defensores insistirão (remando contra a maré) nela ou retomarão a política de vacinação?

 

Afisa PR ANO XVII

 

Não obstante a propaganda do governo Ratinho Junior afiançar "normalidade" — "mantém o ritmo" até quando? —, a nosso ver, a "área livre de febre aftosa sem vacinação", ideia-força do governo Ratinho Junior, apoiada apoiada por setores do patronato sindical e que causa preocupação na cadeia produtiva do gado, já começou a fazer água.  

Leia mais...